Publicidade

Pela primeira vez na história, bienal de veneza premeia duas artistas negras

Publicidade

Simone Leigh e Sonia Boyce fazem história ao se terem tornado as primeiras vencedoras negras do “Leão de ouro”, o cobiçado prémio do prestigiado evento de artes Bienal de Veneza, 127 anos depois da sua fundação em 1895.

Pela primeira vez na história, bienal de veneza premeia duas artistas negras

A Bienal de Veneza é uma exposição internacional de arte realizada de dois em dois anos, desde 1895, em Veneza, Itália. O nome “Bienal” deriva-se, naturalmente, da frequência na qual se realizam os vários eventos, com excepção do Festival de Veneza, realizado anualmente. 

Publicidade

Leigh ganhou o Leão de Ouro pela sua escultura monumental “BrickHouse”, que recebe os visitantes na galeria de abertura da exposição central no “Arsenale”.

No interior, uma mistura de cerâmicas, bronzes e peças de vídeo fornecem uma visão geral poderosa das investigações de Leigh sobre como as mulheres da diáspora Africanas foram representadas na história da arte. 

Boyce, por outro lado, levou para casa o Leão de Ouro pela sua exposição no Pavilhão Britânico, “Feeling Her Way”, que foi aclamada pela sua abordagem lúdica e inventiva ao som. 

Destaca as práticas de cinco musicistas negras Britânicas que trabalham numa variedade de géneros – a vídeo-instalação central mostra o grupo a reunir-se no famoso Abbey Road Studios em Londres, enquanto as outras salas exploram as suas práticas individuais, criando uma banda sonora exuberante e sobreposta. 

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Pela primeira vez na história, bienal de veneza premeia duas artistas negras
Publicidade
Publicidade