Publicidade

“The Woman King”: o que precisa de saber do novo filme de Viola Davis

Publicidade

“The Woman King” conta a notável história da Agojie, a unidade feminina de guerreiras que protegeu o Reino Africano de Dahomey em 1800 com habilidades e uma impiedade diferente de tudo o que o mundo já viu. O filme terá a sua estreia  em Angola a 7 Outubro na sala IMAX do ZAP Cinemas.

“The Woman King”: o que precisa de saber do novo filme de Viola Davis

Inspirado em acontecimentos reais, The Woman King segue a jornada emocionalmente épica da General Nanisca (Viola Davis), enquanto treina a próxima geração de recrutas e prepara-os para a batalha contra um inimigo determinado a destruir o seu reino. Há coisas que merecem que lutemos por elas!

Publicidade

Dirigido por Gina Prince-Bythewood, diz-se que o filme mistura o entretenimento mainstream de Hollywood com uma história de significado social e histórico. O elenco, incluindo Davis, Lashana Lynch, John Boyega e Thuso Mbedu, foi elogiado em toda a linha pelos críticos – e a acção também é um destaque. 

Viola Davis explica de forma poderosa o que o projecto significa para ela e como aquilo que lhe foi dito como actriz e mulher negra “era uma mentira, e este filme é a minha redefinição disto”, disse Davis.

Quanto aos seus colegas de elenco: estes reforçam a generosidade e o espírito de colaboração no set, particularmente durante os momentos mais vulneráveis ​​da história e cenas de acção emocionantes.

Gina Prince-Bythewood, a realizadora, disse saber que tinha de realizar o “The Woman King” nos primeiros cinco minutos após ter lido o guião, não só por oferecer uma visão de um capítulo pouco conhecido da história, mas também pelo facto de colocar as mulheres negras na linha de frente – centro de um filme de uma forma diferente de tudo que já vimos antes.

The Woman King arrecadou US$ 19 milhões em vendas de ingressos para a Sony Pictures Entertainment no fim de semana (17) do seu lançamento oficial nos EUA – pelo menos 25% a mais do que os analistas previram. Foi a melhor abertura de Setembro para um filme semelhante.

The Woman King, de Gina Prince Bythewood, foi muito bem recebido no Festival de Cinema de Toronto na semana passada. Actualmente em 94%, o épico filme de acção histórico é apenas o 10º lançamento do ano a registar mais de 90% no Tomatometer (3 deles são filmes de anime). 

Antes da pandemia, o fim de semana de estreia mais baixo para um filme com US $ 1 milhão em receitas de Quinta-feira foi “Rambo: Last Blood”, com US $ 18,8 milhões, seguido por “Ad Astra”, com 19 milhões de dólares. A maior parte dos números nesse intervalo antes de 2020 pairava na faixa de US$ 25 milhões. 

Viola Davis é a quinta de seis irmãs, tendo nascido em St. Matthews, Carolina do Sul, Estados Unidos de América, na fazenda de sua avó, tendo-se mudado com a sua família para Central Falls, em Rhode Island. Teve uma infância de muita dificuldade e pobreza, mas as coisas começaram a melhorar quando, na escola, descobriu a sua paixão pela arte de representar.

Formou em artes dramáticas, e frequentou por quatro anos a prestigiada escola de artes dramáticas Juilliard School. Ganhou destaque na Broadway, onde conquistou dois prémios Tony. Estreou nos cinemas com The Substance of Fire, em 1996. Participou das séries “New York Undercover”“City of Angels”“Third Watch”“Law & Order: Criminal Intent”“CSI”.

Entre series e filmes, chamou a atenção de Hollywood com sua curta, mas marcante participação no fime “Dúvida”, quando roubou a cena de nomes mais famosos, como Meryl Streep, Philip Seymour Hoffman e Amy Adams. Conquistou sua primeira indicação ao Oscar pelo papel e rendeu-lhe outras indicações no Globo de Ouro e SAG Awards. Nos anos seguintes, integrou o elenco de várias grandes produções como “Noites de Tormenta”, “Código de Conduta”, “Encontro Explosivo” e “Comer Rezar Amar” com Júlia Roberts.

Quem de se lembra de “Histórias Cruzadas”, em que a actriz caracterizada de sua personagem ajuda a personagem de Emma Stone a escrever um importante livro na luta contra o racismo no sul dos Estados Unidos.

Viola continuou a trilhar a sua carreira, percorrendo diferentes personagens de produção em produção. Conquistou Tony Awards, foi indicada para Orcars, Globos de Ouro, BAFTA, entre outros prémios.

Em 2016 Davis actuou no seu maior sucesso comercial no filme do “Suicide Squad” onde interpretou a vilã Amanda Waller e na aclamada adaptação cinematográfica de “Fences” onde venceu seu primeiro Globo de Ouro e foi novamente indicada ao SAG Award, BAFTA e Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, tornando-se a actriz negra com maior número de indicações ao Oscar da história e tornando-se também a primeira actriz negra a obter a Tríplice Coroa de Atuação, termo usado para descrever actores que foram premiados por suas actuações com os três prêmios de maior prestígio relacionados a essa arte, respectivamente o Oscar no cinema, o Emmy na televisão e o Tony no teatro.

Fiquem todos atentos, dia 7 de Outubro, a sala IMAX do ZAP cinema albergará a grande estreia desta mega produção “A Mulher Rei”. A pré venda dos bilhetes começa a 23 de Setembro, no Shopping Avenida Morro Bento.

“The Woman King”: o que precisa de saber do novo filme de Viola Davis

“The Woman King”: o que precisa de saber do novo filme de Viola Davis

“The Woman King”: o que precisa de saber do novo filme de Viola Davis

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

“The Woman King”: o que precisa de saber do novo filme de Viola Davis
Publicidade
Publicidade

Últimas de Arte & Cultura

Publicidade