Publicidade

Jerusalem a cidade da paz

Jerusalém “cidade da paz“em hebraico, é um dos poucos
lugares no mundo que podem se orgulhar de uma história, judeus (israelenses) e muçulmanos (palestinos) ainda lutam pelo controle da cidade. A razão é a enorme importância de Jerusalém não apenas política (em teoria, a capital de dois estados), mas também religiosa, dada a presença, no seu território, de locais de culto muito importantes para as três grandes religiões monoteístas.

Após o conturbado domínio romano, a cidade passou para as mãos dos bizantinos, primeiro e depois para vários conquistadores muçulmanos (seljúcidas, vários califas, otomanos). Houve tentativas de reconquista cristã, que resultaram em várias cruzadas destinadas a libertar a Terra Santa, mas que no final das contas não levaram a nada. Somente após a Segunda Guerra Mundial chegamos à criação de um estado de Israel, com a capital Jerusalém, que não ficou isenta de críticas e confrontos.

Publicidade

Os lugares imperdíveis em Jerusalém

Se falamos de Jerusalém, não podemos deixar de mencionar os locais de culto mais importantes, como o Muro das Lamentações, a Basílica do Santo Sepulcro e o Monte do Templo. De fato, o judaísmo, o cristianismo e o muçulmanismo sempre coexistiram, embora não tenha sido da maneira esperada, dentro da cidade.

Jerusalem a cidade da paz

Além dos locais de culto, recomendamos que explore Jerusalém com um olhar de turista. A culinária e a bíblica do eucalipto é uma obrigação, terá a oportunidade única de provar os pratos da época do rei Salomão.

Jerusalem a cidade da paz

As Muralhas Antigas também devem ser observadas, pela sua importância. As ruas estreitas, os becos estreitos da Cidade Velha foram nomeados Patrimônio da Unesco, preste atenção nos pontos panorâmicos da cidade, no Monte das Oliveiras e nos Oito Portões Antigos de Jerusalém.

A cidade antiga de Jerusalém é cercada por um bastião de muros, e o acesso é feito através das 8 portas com as quais está pontilhada (nem todas estão sempre abertas ou acessíveis). No interior, a cidade é dividida em quatro distritos (cristão, judeu, muçulmano e armênio), cheios de ruas estreitas, lojas e locais de culto. É por la que a essência de Jerusalém é mais respirada, e é la que fica o Monte do Templo, que abriga o Muro das Lamentações e a Esplanada das Mesquitas.

Jerusalem a cidade da paz

A cidade moderna é dividida essencialmente em duas partes, uma árabe (Jerusalém Oriental) e a outra judia (Jerusalém Ocidental). A divisão não é muito clara, mas a diferença faz-se sentir. A parte árabe da cidade é mais tradicional e característica, a parte judaica é mais moderna e dedicada à inovação.

Jerusalem a cidade da paz

Apesar da altura considerável de Jerusalém, que se eleva a 700 metros acima do nível do mar, o clima da cidade não é hostil: o inverno é ameno, com nevascas esporádicas apenas nos meses mais frios; a exposição à luz solar é alta no verão, mas a baixa umidade torna o calor facilmente suportável.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Jerusalem a cidade da paz
Publicidade
Publicidade