Publicidade

Tissot celebra 444 anos de Luanda Com relógio de edição limitada e numerada

Tissot celebra 444 anos de Luanda Com relógio de edição limitada e numerada

A Tissot celebra os 444 anos da cidade de Luanda com um relógio de edição especial, limitado e numerado a 444 exemplares. O novo modelo, que presta tributo à Fortaleza de São Miguel – um dos símbolos da cidade – apresenta-se numa caixa de 40 mm em aço, cujo fundo exibe uma gravação exclusiva da Fortaleza.

Tissot celebra 444 anos de Luanda Com relógio de edição limitada e numerada

No coração do novo Tissot 444 Anos Luanda bate o movimento de quartzo, calibre ETA F06.111. O toque final nesta edição limitada é dado pela correia em pele preta. O relógio comemorativo do aniversário da capital angolana é entregue num estojo especial, com oferta de uma medalha de 35 mm, comemorativa da Fortaleza de São Miguel, cuja história acompanha a cidade de Luanda desde o seu primeiro dia.

Publicidade

Sobre a Fortaleza de São Miguel

Em 1575 Paulo Dias de Novais e o primeiro núcleo de colonos chegaram à região onde hoje se localiza a cidade de Luanda. Da ilha de Luanda, os colonos avançaram rapidamente para terra firme fundando a Vila de São Paulo de Loanda.

Em 25 de Janeiro de 1576 é lançada a primeira pedra para a edificação da igreja dedicada a São Sebastião — lugar onde é hoje a Fortaleza de São Miguel de Luanda. Com uma função iminentemente militar o edifício é uma referência de engenharia militar de Angola. Do ponto de vista urbano, a fortaleza foi sempre a referência do ordenamento da cidade. Inicialmente, foi o limite do aglomerado que se desenvolvia para sudoeste, em direcção à Praia do Bispo, mas, em 1648, quando a Barra da Corimba ficou assoreada, a cidade passou a desenvolver-se para o lado norte, mantendo desta forma o seu papel ordenador.

Tissot celebra 444 anos de Luanda Com relógio de edição limitada e numerada

Ao longo dos anos, o edifício foi-se transmutando continuamente. Reconstrução após reconstrução, a cara da fortaleza não parou de mudar até aos inícios do século XX. Em 1938, o edifício foi classificado como Monumento Nacional e tornou-se sede do Museu de Angola. Depois de amplas obras de requalificação, em Abril de 2013, o edifício foi reinaugurado e alterou-se a sua designação de Museu das Forças Armadas para Museu Nacional de História Militar de Angola.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Tissot celebra 444 anos de Luanda Com relógio de edição limitada e numerada
Publicidade
Publicidade
Publicidade