Publicidade

“Iris Jewelry”, de Angola para o mundo

Aos 30 anos de idade, a empresária no ramo da joalharia Iris Guerra tem a sua marca de acessórios sediada nos Estados Unidos da América.

“Iris Jewelry”, de Angola para o mundo

Em Novembro de 2019 foi lançada a sua primeira campanha intitulada “The Only Color We See Is Gold”, um trabalho que demorou dois anos para a anos até a sua conclusão.

Quem é Iris? E o que é o Iris Jewelry ? 
A Iris Guerra é uma empresária que tem 3 anos de carreira , 30 anos de vida e o Iris Jewelry simboliza o começo de “tudo”.
O Iris Jewelry é uma marca de peças banhadas a ouro 18k , anteriormente produzidas no Brazil e recentemente produzidas em Portugal. O Iris Jewelry vende online e a sua primeira e única presença “física” , até á data , foi a Kith (sonho da maioria dos entrepreneurs dos Estados Unidos) , o seu primeiro pop-up foi no Soho House Miami.
O Iris Jewelry é usado por entidades como Kendall Jenner , Kourtney Kardashian , Estelle , Sibley Scoles , Renell Medrano , Amina Estevao , MAAD , Coco and Breezy , Chloe Flower (pianista da Cardi B) , WuzG00d , Sam Lambert , entre outros… por ter tido a oportunidade de enviar peças para alguns dos nomes anteriormente mencionados, tivemos o prazer de ver o Iris Jewelry no canal E! NEWS , Vogue , Art Comes First last lookbook , COSMOPOLITAN , Grazia , AMAs , HYPEBEAST , I-D , NIKE , SNKRS APP , BET Experience , BET show #COLORWAYSXTOEBOXES , Milk Makeup (Instagram) , Keeping Up with the Kardashians… entre outros.

Publicidade


O Iris Jewelry é 99% da minha ansiedade, do meu tempo, da minha alegria , do meu orgulho.

Quando surgiu a sua paixão por jóias?
Desde sempre gostei de acessórios principalmente ouro mas a verdadeira paixão começou quando comecei a vender jewelry , é diferente comprar de criar e vender. Ver uma peça esgotar ou ver pessoas na rua ou nas redes sociais a usar as minhas peças é o que me dá mais prazer.

Qual foi o primeiro passo para começar o seu negócio?
O Instagram foi uma plataforma muito importante em todo o processo. A primeira sessão fotográfica que fiz foi super importante para “set the tone” assim como os primeiros influencers que usaram as nossas peças ainda antes do site estar disponível. Estes foram sem dúvida dois passos importantes para o começo do Iris Jewelry

Em que momento as irmãs Kardashians entraram na sua vida?
A assistente da stylist das Kardashians sempre gostou do Iris Jewelry e acabou por entrar em contacto connosco para pedir algumas peças para uma sessão fotográfica. Depois da sessão fotográfica a Kendall ficou com algumas peças para seu uso pessoal. Depois disso as coisas foram acontecendo e já enviamos várias outras peças para outras sessões também. A Kourtney usou as nossas argolas recentemente para a sua capa da revista HEALTH. 

“Iris Jewelry”, de Angola para o mundo

Já saiu de Angola a algum tempo ? O que lhe diz Angola?
É importante para mim não esquecer de onde vim , de onde sou. Sigo na esperança do meu caminho inspirar todos os que de uma maneira ou de outra estejam perto de mim e que o meu sucesso seja prova de que “é possível” fazer as coisas acontecer quando se acredita e se tem força , foco e fé seja de onde for que nós viermos o que realmente importa é para onde acreditamos que somos capazes de ir. Ser angolana é ter esperança num futuro que , no fundo , ninguém sabe se existe. Quando penso que sou angolana , vivo nos Estados Unidos e que consegui fazer a minha marca “acontecer” do “nada” sem conhecer ninguém…é um motivo óbvio de orgulho mas quando penso no privilégio que tive e que tenho de ter tido possibilidades que 90% do povo que tem a minha idade jamais terá acesso… fico triste. Fico triste de pensar que há muito poucas oportunidades, garantias de melhorias… fico triste de pensar que quando os jovens como eu perdem o foco e a esperança existe muito poucas “outras opções”.

Quando eu falhei , tive a ideia errada , estar no sitio certo ajudou-me a não perder o foco e sempre acreditar que a minha próxima ideia ia dar certo… e deu, graças a Deus , mas ás vezes não dá e por isso tenho imenso respeito pelos jovens que vivem em Angola , estudaram fora , voltaram e que mesmo quando tão pouco deu certo continuaram e continuam a acreditar numa Angola melhor. Tenho ainda mais respeito pelos jovens que nunca tiveram metade das possibilidades que tive e que viveram e vivem em condições precárias mas ainda assim têm forças de sorrir , de tentar , de acordar todos os dias. Ser angolano é isso , é ter tudo e não ter nada…é tantas coisas e tantas emoções.

Ter dado certo , para mim , não eliminou em mim a sensibilidade de pensar nas pessoas que não têm nenhum “privilégio” , das pessoas que vivem sem ter esperança de um futuro melhor , de uma refeição melhor… Não eliminou em mim a curiosidade de ouvir a história das pessoas que trabalham “lá em casa”, ou que trabalham como funcionários dos negócios da minha mãe , que contam histórias que dariam séries surreais para a Netflix , histórias de bebés que morreram em corredores de hospitais…histórias de fome , de falta de luz , de mais filhos que comida , de mais doenças que água… histórias de pobreza… história de vida que me sensibilizam e nunca se apagaram de mim. Tenho consciência do privilégio que tenho e estar em Luanda e sentir a lacuna que existe entre esse privilégio e o povo angolano deixa-me triste…

“Iris Jewelry”, de Angola para o mundo

Tenho também consciência do esforço e dedicação que foi preciso para construir o que construí mas estar onde estou não me faz sentir mais do que ninguém. Nada mais posso fazer para a geração que conhece o meu trabalho e seguiu o meu percurso a não ser continuar a acreditar , a lutar , alimentar o meu foco , a abrir portas , ser honesta e transparente sobre o meu percurso…por enquanto a única coisa que eu posso fazer é continuar a construir um caminho que seja “nosso” e que possa fazer alguma coisa para mim , para “nós” angolanos , para alguém do outro lado do mundo também…e se amanhã , Deus me colocar em posições que me permitam ajudar ou mudar alguma coisa então sigo com a certeza que o meu esforço valeu a pena e se a minha dedicação for suficiente para alguém acreditar e se dedicar também…então na verdade o que me diz Angola é que é preciso haver alguém que se lembre que existe , na porta do lado alguém que precisa mais do que nós , independentemente de onde estivermos , de quem formos e de onde tivermos a possibilidade de ir..existe sempre alguém que precisa “só de um bocado” do tanto que temos.

“Iris Jewelry”, de Angola para o mundo

Até aonde quer e pretende chegar a nível profissional? 
O Iris Jewelry surgiu como o meu último “suspiro” enquanto criativa. Antes do Iris Jewelry eu tive várias outras ideias que nunca aconteceram mas que ainda fazem parte dos meus projectos. Eu pretendo fazer do Iris Jewelry uma plataforma que seja acessível para todos , não só para que todos possam comprar , mas que todos possam fazer parte. É importante para mim fotografar pessoas que tenham o sonho de ser modelos por exemplo e que nunca tiveram oportunidade de o fazer , pessoas de diferentes culturas…Aconteceu recentemente fotografar uma rapariga que era fã do Iris Jewelry e entrou em contacto connosco para fazer parte das nossas sessões fotográficas…e uma semana depois de fotografar-mos ela foi contactada por uma agência… foi agenciada e recentemente fotografou para a VOGUE Germany , fez parte da exibição da Kappa que foi curado por Vanessa Beecroft ( um dos grandes nome do mundo da moda ; ela é responsável pelos shows e Sunday Services do Kanye West). Sentir que a minha plataforma pode abrir portas , ajudar , inspirar alguém é importante para mim e isso é onde eu pretendo chegar… fazer com que a minha marca me permita fazer parte de diálogos que me ajudem a posicionar o Iris Jewelry como sendo uma marca que respeita e aceita a diversidade e é uma marca inclusiva e que acima de tudo uma marca que conta a minha história.

Como se vê daqui a 10 anos?
Como empresária ligada a projectos humanitários , de solidariedade e se Deus quiser com um espaço IRIS onde possa fazer tudo o que me dá prazer e possa dar emprego a amigos e pessoas próximas de mim. E enquanto mulher se Deus quiser em paz e com saúde, rodeada de amor que é só isso que no fundo importa. 

O que lhe faria parar ou desistir do seu negócio?
Desistir absolutamente nada e parar só se alguém quisesse comprar o Iris Jewelry por um valor que desse para os meus filhos, a minha família , não ter que se preocupar com dinheiro para o resto das suas vidas. (obs: com certeza começaria um novo negócio logo a seguir).

Que celebridade gostava de ver a usar as suas peças?
Tirando a Oprah , Tracee Ellis Ross , Beyonce , the Smith´s… todas as celebridade , ou não , que se identifiquem com a minha história e que tenham orgulho e carinho pela minha marca.

Pretende ficar só pelos Estados Unidos ou ambiciona outras paradas?
Eu sou uma alma do mundo amo viajar e o Iris Jewelry, graças a Deus, tem encomendas de todas as partes do mundo por isso sinto que qualquer porto se fará seguro.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

“Iris Jewelry”, de Angola para o mundo
Publicidade
Publicidade