Publicidade

A importância da assertividade e o lado positivo do mau humor

Publicidade

Reprimir ou condenar as nossas emoções negativas pode trazer consequências sérias para a nossa saúde e bem-estar.

A importância da assertividade e o lado positivo do mau humor

Às vezes temos vontade de criticar a nós mesmos por não nos sentirmos alegres, mas existem razões para que aceitemos nosso mau humor.

Publicidade

Devemos conhecer a importância da assertividade

Desenvolver essa capacidade é muito importante para a nossa saúde física e mental. Ser assertivo permite-nos expressar emoções no momento em que elas surgem, bem como expressá-las na sua medida adequada, sem atacar ou gritar, mesmo que sejam de valência negativa.

Imagine que acabou de passar por algo desagradável – o seu irmão levou algo sem o seu consentimento, não foi aprovado para um novo emprego ou acabou de acordar depois do feriado cansativo e lembrou que precisa de ir trabalhar.

Qual tem sido a sua  reação diante desses sentimentos?

Pode tentar dizer a si mesmo que isso não importa, não se deixar abater ou tentar evitar pensar em coisas negativas, mas, quando o bad mood finalmente se instala no seu dia, surge a pergunta – “por que estou tão sensível”?

Essa tendência à rejeição e auto-punição pode ser descrita como “vergonha do humor”: a crença de que ter maus sentimentos é uma falha pessoal é bastante comum.

É natural preferir evitar sensações desconfortáveis como desilusões, preocupações, raiva ou tristeza, mas pesquisas recentes sustentam a ideia de que elas atendem a propósitos úteis nas nossas vidas.

Quando aprendemos a observar essa importância e aceitar esses sentimentos sem julgamento, podemos ter melhor saúde física e mental.

Atenção: é necessário frisar que, quando se fala sobre a necessidade de aceitar emoções negativas, não é válida a depressão, ansiedade severa ou qualquer outro distúrbio do humor crônico que precise de atenção profissional.

Devemos saber que não há nada a ganhar com sofrimento prolongado e insuportável, sendo assim, se precisa e pode buscar tratamento médico e apoio à saúde mental, faça-o sem tardar.

Nos referimos às nuvens temporárias que podem se abater sobre as nossas vidas por algumas horas ou dias. Essas emoções temporárias, na verdade, não representam ameaça ao nosso bem-estar a longo prazo, mas muitas vezes agimos como se fosse este o caso – e é tentador tentar evitá-las.

As nossas tentativas de suprimir emoções podem simplesmente acrescentar camadas de “vergonha” e “medo” ao que já sentimos, além de fazer-nos sentir inveja das pessoas que parecem ter vidas mais felizes. O sentimento resultante é ainda “mais forte e duradouro” do que o que buscamos evitar.

É importante de reconhecer o lado bom e mau

Existem enormes evidências de que podemos criar profecias auto-realizáveis em muitas áreas da vida. Na medicina, por exemplo, sabemos que nossas interpretações de sintomas físicos como dores podem alterar a forma como passamos por elas e até influenciar nossa reação fisiológica.

Comecei a imaginar se o mesmo era válido para nossas emoções. Em vez de mudar as próprias emoções, poderíamos alterar a forma como pensamos sobre elas – e assim melhorar a própria experiência e seus efeitos sobre a saúde a longo prazo.

A desilusão, por exemplo, pode parecer desagradável – mas você poderá admitir que essa emoção nos ajuda a aprender com nossos erros. E, atribuindo um significado mais positivo a essa emoção e reconhecendo seus potenciais benefícios – em vez de sentir que é algo que “não é saudável” -, você poderá mudar a atuação do cérebro e as reações do corpo a uma preocupação.

Expetativas

O início de um novo ano pode ser a época perfeita para colocar em prática essa compreensão mais sutil das nossas emoções.Porém é necessário saber que quem faz esta diferença somos nós,a responsabilidade de fazer uma retrospectiva e dizer se estamos bem ou não conosco, é somente nossa. Por isso não devemos ter a ideia de que um novo ano transforma por completo a nossa vida se em nós não acontecer uma transformação interna, se não tudo o que teremos é um ciclo vicioso com acções repetidas.

É tudo uma questão de tempo

Alguns de nós podemos sofrer tristezas, ao mesmo tempo em que ansiamos por uma vida melhor – o que cria sentimentos de tédio, frustração e tristeza.

Em vez de fazer julgamentos severos por esses sentimentos, poderá debruçar-se sobre esse mau humor com o autocuidado necessário para superá-lo. Sem lutar contra as próprias emoções, poderá começar a questionar-se, se essas sensações têm importância. Talvez elas o ajudem a identificar uma mudança importante que poderá fazer em sua vida, por exemplo.

Tom do humor

Mas, de forma geral, o nosso humor não é bom nem mau, mas sim tem muitos tons diferentes. Prestando atenção a esses tons, podemos enfrentar as tempestades da vida com mais facilidade.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

A importância da assertividade e o lado positivo do mau humor
Publicidade
Publicidade