Publicidade

Os perigos da auto-medicação

Publicidade

A dor é parte integrante de muitas doenças. Identificá-la para dar o devido tratamento é o passo mais certo.

Os perigos da auto-medicação

Infelizmente muitas pessoas optam por não se dirigir a um hospital e por se auto-medicar, o que é errado e pode ter várias consequências negativas.

Publicidade

Esta prática é muito comum entre as pessoas e é causada muitas vezes pela dificuldade em conseguir uma consulta médica por crenças. Muitas vezes a pessoa é orientada por amigos, familiares e até mesmo farmacêuticos, sem nenhuma prescrição médica.

O uso de remédios de forma incorrecta ou irracional pode causar o agravamento de patologias já existentes no corpo, reacções alérgicas, dependência e até a morte. Entre os riscos mais frequentes para a saúde estão o perigo de intoxicação e a resistência aos remédios.

O risco da automedicação é maior ainda em mulheres grávidas, que podem facilmente perder o bebé ou causar  uma má-formação congénita. Mesmo chás e outros produtos naturais devem ser evitados por gestantes, uma vez que uma grande quantidade dessas substâncias não possui eficácia comprovada por testes laboratoriais, além de muitas serem perigosos abortivos.

Alguns medicamentos são vendidos em farmácias sem que seja necessária uma receita médica, tais como remédios para gripe, dores de garganta e febre, por oferecem resultados imediatos e não apresentarem muito perigo, desde que o passo seguinte seja uma consulta médica.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Os perigos da auto-medicação
Publicidade
Publicidade