Publicidade

Eis as conclusões de um estudo da FMUP sobre o cancro da tiroide

Um estudo divulgado esta Quarta-feira, 26 de Julho, pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), identificou que mais de metade das pessoas com uma doença autoimune que provoca hipertiroidismo têm nódulos e um risco aumentado de cancro da tiróide.

Eis as conclusões de um estudo da FMUP sobre o cancro da tiroide

A doença grave é um distúrbio autoimune no qual a glândula tiróide é atacada pelo sistema imunitário do corpo. É considerada a causa mais comum de hipertireoidismo, de acordo com a FMUP, publicado no European Thyroid Journal.

Para realizar este estudo, a equipa da FMUP analisou os dados de 539 pessoas com doença graves, das quais 3,3% tiveram cancro da tiróide durante cerca de três anos. Os doentes que apresentam mais e maiores nódulos correm um risco superior.

Os sintomas são os considerados típicos do hipertiroidismo: aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, palpitações, suor excessivo, intolerância ao calor, ansiedade, perda de peso, problemas nos globos oculares e lesões dermatológicas na zona da tíbia.

O diagnóstico tem normalmente como base uma análise ao sangue, das hormonas da tiróide e doseamento dos autoanticorpos TRABs. O tratamento assenta em fármacos antitiroideus, iodo radioactivo, ou cirurgia e podem ainda ser utilizados medicamentos para o controlo dos sintomas.

Segundo os investigadores, cerca de 65% dos doentes com este tipo de cancro tinham múltiplos nódulos na tiróide. Considera-se que por cada 10 milímetros de aumento no tamanho desses nódulos, o risco aumenta de forma significativa.

“É muito importante seguir os indivíduos com doenças graves a longo prazo, recorrendo a exames complementares de diagnóstico, quando necessário, para identificar os doentes com risco acrescido de cancro da tiróide. Só assim poderemos actuar mais cedo e de forma mais eficaz”, recomenda a equipa de investigadores.

São considerados principais factores de risco para cancro da tiróide a exposição a radiação e a história familiar. A FMUP refere que não se sabe exactamente a causa desta doença, apesar de alguns factores de risco estarem descritos, nomeadamente ser do sexo feminino, ter idade superior a 40 anos, tabagismo, stress, gravidez, ou parto recente e história de doenças autoimunes.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Eis as conclusões de um estudo da FMUP sobre o cancro da tiroide
Publicidade