Publicidade

“Não falta amor, falta amar” por Nicole Lagrifa

Gramaticalmente falando, estas duas palavras estão relacionadas, mas possuem significados bem diferentes. ‘’Amor’’ é um substantivo que identifica o sentimento em si. Normalmente este amor nasce entre dois seres e está fundamentado no raciocínio de que quando uma pessoa se sente atraída por outra e quer unir-se à mesma, esta união caracteriza-se por ‘’Amor’’. Através das acções da outra pessoa, procura-se adivinhar os seus pensamentos para assim tomar atitudes em relação a ela e que a levem a sentir-se bem e feliz.

“Não falta amor, falta amar” por Nicole Lagrifa

Por isso, verificamos não faltar Amor entre casais, filhos, familiares e até mesmo em relação a pessoas e coisas, por tratar-se de um sentimento essencialmente de apego.

Publicidade
“Não falta amor, falta amar” por Nicole Lagrifa

O sentimento de Amor não requerer uma acção pois apenas revela o que sentimos. Ele pode ser revelado também pelo sentimento de prazer que nos proporciona determinada coisa. Por exemplo, eu sinto-me bem na presença de um animal de estimação, logo vou desenvolver um sentimento de Amor pelo animal, pelo bem que o mesmo me causa. E o mesmo pode ser aplicado a variadíssimos objectos de estima aos quais nos vamos apegando ao longo da vida.

Nos dias que correm, infelizmente, parece que a cultura do descartável também se reflete nas relações humanas, obrigando-nos a refletir sobre o estado do Amar. Pois bem, falta Amar…

“Não falta amor, falta amar” por Nicole Lagrifa

A palavra ‘’Amar’’ requer uma ação, ou seja, dá-nos a condição de identificar a nossa acção como algo bom. Nesta acção (Amar) é suposto não haver distinções, resultante do sentimento de gratidão pelos outros, pela vida, pelo que temos no presente. No exercício de Amar, acolhemos e cuidamos naturalmente, e é suposto exercê-lo não por obrigação, consequência de estarmos toldados pelo egoísmo e por pressões sociais . Por isso esforçamo-nos pelos outros, mas sofremos.

“Não falta amor, falta amar” por Nicole Lagrifa

A maior solidão é a do ser que se defende, que se fecha, que se recusa a participar da vida humana. A maior solidão é a do homem encerrado em si mesmo, no absoluto de si mesmo, o que não dá a quem pede o que ele pode dar de amor, de amizade, de socorro” (Vinícius de Morais). Por isso, falta Amar, falta colocar definitivamente o orgulho de parte e desfazermo-nos de todos os joguinhos para não parecermos vulneráveis. Vamos Amar por favor!

Nicole Lagrifa
Filosofia Científica
Mestre em Gestão de Recursos Humanos
Especialista em Psicologia do Luto

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

“Não falta amor, falta amar” por Nicole Lagrifa
Publicidade
Publicidade