Publicidade

Angolanos Distinguidos pelas Nações unidas

Publicidade

Os angolanos Adjany Costa (actual ministra da Cultura, Turismo e Ambiente), João Kanda (embaixador para a Paz Mundial junto da Comunidade Internacional) e Cecília Bernardo (directora para o Intercâmbio do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente) foram galardoados com o “Prémio Afrodescendentes Mais Influentes’’  (MIPAD) da Organização das Nações Unidas.

Angolanos Distinguidos pelas Nações unidas

Os eleitos foram distinguidos nas categorias de “Política”, “Heróis da Acção Climática” e “Governança”.

Publicidade

Uma nota divulgada pela Organização das Nações Unidas à qual o Jornal de Angola teve acesso, refere que o prémio é entregue, anualmente, a jovens com menos de 40 anos, que se destacam pelo grande impacto internacional em diversos sectores.
Os distinguidos, que passam a constar das 100 pessoas mais influentes e respeitadas do mundo, foram anunciados no Domingo último, em Nova Iorque, através de um comunicado do MIPAD. O documento foi apresentado durante a cerimónia dos laureados, após a abertura da 75° Assembleia Geral da ONU, que decorre desde Setembro.

Angolanos Distinguidos pelas Nações unidas

Adjany Costa é actualmente a mais nova ministra na História de Angola, exercendo o cargo de ministra da Cultura, Turismo e Ambiente desde Abril último. Na qualidade de bióloga e conservacionista, também actua como directora do Okavango Wilderness Project, da National Geographic, um esforço plurianual para explorar e pesquisar a bacia do rio Okavango.
Em 2019 recebeu o prémio da ONU “Jovens Campeões da Terra” e no mesmo ano foi condecorada com a Ordem de Mérito Civil de 1º Grau pelo Presidente da República de Angola.

Angolanos Distinguidos pelas Nações unidas

João Kanda Bernardo, poliglota. Em Setembro de 2019 foi nomeado para o mais alto título da diplomacia mundial, exercendo até à data as funções de embaixador para a Paz Mundial, junto da comunidade internacional.
Os embaixadores da Paz dedicam-se à promoção de valores morais universais, cooperação inter-religiosa, harmonia internacional, renovação das Nações Unidas, além de serem responsáveis pela salvaguarda da paz mundial. João Kanda é igualmente membro do Conselho Mundial da Paz e representante da Universal Peace Federation (UPF), no Estado Federal de Sachsen, na Alemanha, um órgão de consulta geral no Conselho Económico e Social das Nações Unidas.

Cecília Silva Bernardo é directora para o intercâmbio do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente. Esteve envolvida em negociações no âmbito da convenção das Nações Unidas sobre as alterações climáticas, desde 2009.

Entre os finalistas angolanos consta da lista o jovem Mateus Esteita, escritor e mentor de vários projectos filantrópicos e académicos em Angola e na Rússia. Autor do livro intitulado “O Bolseiro – A Vida de um Sonhador”, o jovem é formado em Engenharia de Refinação de Petróleo, pela UFA, Rússia. Em 2017 foi eleito “Estudante Estrangeiro do Ano” pelo Ministério do Ensino Superior da Federação Russa.

Angolanos Distinguidos pelas Nações unidas

João Kanda e Adjany Costa são os segundos angolanos a receber o Prémio MIPAD na categoria de Política e Governança, depois do Ministro Adão de Almeida, distinguido em 2018. Já Cecília Silva Bernardo recebe o Prémio MIPAD dos Heróis da Acção Climática.

Habitualmente, a nomeação para o “Prémio MIPAD” culmina numa cerimónia oficial de entrega de certificados de mérito, por ocasião da Assembleia Geral da ONU, que se realiza anualmente entre Setembro e Outubro. Este ano, devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, o MIPAD realiza um programa especial, enquadrado na nova dinâmica. A cerimónia oficial de entrega de certificados de mérito e troféus está agendada para 2021, durante a próxima Assembleia-Geral.

A MIPAD é uma organização da sociedade civil, junto das Nações Unidas, com a sede em Nova Iorque que, em apoio à Década Internacional para Pessoas de Ascendência Africana, proclamada pela Resolução 68/237 da Assembleia-Geral das Nações Unidas, identifica os grandes realizadores de ascendência africana em sectores públicos e privados, de todo o mundo.

Fonte: Jornal de Angola

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Angolanos Distinguidos pelas Nações unidas
Publicidade
Publicidade