Publicidade

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

Publicidade

De nome completo Messias Francisco Quinguri, conhecido pelos mais chegados simplesmente por Messias Júnior, este é um jovem promissor do teatro e jornalismo angolano, um estudante destacado de Ciências da Comunicação, um exímio batalhador e sonhador ao mesmo tempo.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

Um jovem bastante simpático e carismático que está sempre aberto a ajudar e orientar outros jovens que também procuram uma oportunidade no mundo da representação.

Publicidade

Com certeza, Messias Francisco, repórter do programa Zap News da Zap Viva, é um jovem que inspira e um exemplo a seguir para muitos jovens angolanos.

Numa conversa descontraída que manteve com a Chocolate Lifestyle, Messias abriu-se sobre as suas metas e objectivos enquanto repórter e actor.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

Com a grande ambição de vir abrir um dia uma academia de teatro no bairro que lhe viu crescer, com vista a ajudar outros jovens através da arte, Messias revelou-nos que no mês de Dezembro vai dar uma formação sobre teatro a outros jovens com a pretensão de poder partilhar o seu “pouco e humilde conhecimento na arte”.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

1 – Dados do Bilhete de Identidade.

Nome: Messias Francisco Quinguri
Filiação: Francisco José Quinguri e Maria Fernanda Francisco.
Nascido em: 03/04/1997
Natural de: Luanda
Província de: Luanda

2 – Numa breve descrição, quem é Messias Francisco Quinguri?

Messias Quinguri é um jovem batalhador e sonhador com ideias bem traçadas do que quer para o seu futuro, sou bastante simples , amigo dos amigos, muito caseiro e gosto de me capacitar todos os dias indo sempre atrás do conhecimento.

3 – Quando nasce a paixão pelo Teatro?

A paixão pelo teatro nasce quando mais pequeno, na turma eu lia textos sem receio dos colegas, as minhas intervenções eram vistas como as mais engraçadas e criativas, depois passei a ver novelas e filmes e o meu sonho naquela altura era representar como William Lewis, olhava para ele e dizia a mim mesmo que também queria representar assim.

4 – Desde pequeno sempre quis ser actor?

Sempre, tanto que o meu primeiro casting fiz com meus 10 anos de idade e na minha casa ninguém sabia que havia ido ao casting ( risos).

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

5 – O que o motivou a entrar no mundo da representação?

Foi a fantasia das telenovelas e filmes, saber que posso interpretar vários personagens que não têm nada a ver comigo… Aquele mundo chamou-me muito a atenção e porque eu tenho algo muito peculiar, que é viver muito os problemas dos outros, então na representação nós morremos para poder viver a vida de uma outra pessoa, então tudo isso me motivou a entrar nesse mundo.

6 – Enquanto jovem actor quais têm sido os seus desafios com a sociedade?

São vários na verdade, partindo do pressuposto que há pouca produção nacional ou quase não há, então vou motivando todo aquele amante da arte para que não espere as coisas acontecerem, mas sim fazer as coisas acontecerem. Criando as suas próprias oportunidades dentro da arte.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

7 – Em Dezembro vai dar formação em teatro, o que pretende passar aos jovens?

Na verdade pretendo passar aos jovens a ideia de que os sonhos são sempre sonhos até os tornares reais, pretendo passar aos jovens que o talento precisa de ser lapidado. E para ser lapidado é necessário um trabalho contínuo e diário sobre tudo.

Pretendo ainda passar aos jovens também nessa formação que, para ser actor é necessário ser um indivíduo instruído, disciplinado, assíduo, comprometido com a arte e acima de tudo um bom profissional. E mais, dizer aos jovens que o teatro é terapia, muda vidas e restaura almas.

8 – O que é que o teatro mudou em si?

O teatro mudou tudo na minha vida, se não fosse o teatro e o mundo da representação, não sei o que seria da minha vida neste exacto momento.

Mudou a minha forma de agir, pensar, falar, observar, entender, respeitar e principalmente, como encarar o mundo.

9 – Já pensou algum dia em abrir uma academia de teatro?

Já, várias vezes, na verdade essa tem sido a minha luta diária: idealizar como abrir essa academia no bairro que me viu crescer (Camama), porque sei e conheço os benefícios do teatro na vida do ser humano e principalmente das criança. Sei que vou conseguir.

10 – Qual foi a experiência que reteve da sua passagem no programa “ Conversas no Quintal”?

A experiência que pude reter foi a de que a humildade faz o mundo e sozinhos não chegamos a nenhum lado, quando entrei para “Conversas no Quintal” era ainda um adolescente, tinha apenas 14 anos de idade, e logo no meu primeiro trabalho de TV encontrei actores com um curriculum incrível, e se não fosse a humildade e a ajuda que recebi de todos os actores e da equipa em geral, de certeza que a minha carreira iria terminar muito antes de ter começado.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

11 – Para além de actor é também repórter, conte-nos esse lado do jornalismo.

Na verdade, esse meu outro lado de repórter e também apresentador de eventos nasceu por conta do teatro, porque tenho dito sempre, todo o actor de verdade pode fazer qualquer tipo de trabalho em frente às câmaras, porque o teatro é uma arte bastante completa e que trabalha tudo, então esse meu outro lado nasceu através do teatro.

O teatro tem sido o veículo que tem me levado a vários lugares. Falar desse outro lado do Jornalismo é falar de um mundo fantástico e surreal onde temos a oportunidade de ver e falar tudo na primeira pessoa, onde somos os protagonistas de um possível acto inédito, então esse outro lado só veio complementar o que eu já venho construindo desde pequeno.

12 – Repórter e actor, como consegue gerir isso?

É difícil, mas com um pouco de sacrifício tento dar o meu melhor nas duas áreas, porque as duas profissões são ciumentas e roubam muito tempo, logo, para gerir tenho estado a abdicar de muita coisa para poder dar atenção às duas. Tem sido um bom desafio.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

13 – Qual é o seu maior sonho?

Na verdade não sou muito de ter sonhos, apenas crio metas e objectivos e tento ao máximo executar e nesse momento os meus objectivos são esses:

Profissional: Escrever ( criar) um programa de Entretenimento em que eu seja o apresentador.

Pessoal: Ser um bom pai para os meus futuros filhos.
Agora se for a falar mesmo de sonho: o meu sonho é ver o mundo livre do sofrimento.

14 – Qual é a sua formação profissional?

Ciências da Comunicação.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

15 – É muito vaidoso?

Sim, muito (risos), até demais.

16 – O que não pode faltar no seu guarda-fato?

Uma T-shirt branca.

17 – Como vê o mundo da fama?

Encaro de forma normal, há muito jogo de interesse, porém é próprio das sociedades modernas.

18 – Se não fosse actor e repórter, o que seria?

Acho que seria um Psicólogo, porque gosto muito de entender as pessoas e viver os problemas delas.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

19 – Sente o impacto da responsabilidade social que ocupa na sociedade?

Sinto sim, e todos os dias. Por isso tive de colocar várias restrições na minha vida. E fruto dessa responsabilidade tento ao máximo tirar proveito, despertando os jovens assim como eu de várias formas.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

20 – Fora do teatro e da comunicação quem é o Messias Quinguri?

Sou um jovem como qualquer outro, normal, simples bem disposto, sonhador, gosto de jogar futebol, ler, cantar e escrever.

21 – Sabemos que tem uma presença activa nas redes sociais, que proveito tem tirado delas?

O proveito que tiro é, principalmente, promover os meus trabalhos, interagir com alguns fãs e cumprir o meu papel social que é mostrar sempre o lado bom das coisas e ajudando os jovens com o pouco conhecimento que tenho.

22 – Como gostaria de ser lembrado um dia na sociedade?

Como o Paulo, alguém que combateu um bom combate e venceu.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

23 – Que palavra tem a deixar a todos os jovens que admiram e acompanham atentamente o seu trabalho?

A todos os jovens que me admiram e acompanham o meu trabalho, tenho a dizer o meu muito obrigado, vocês têm sido também o combustível para continuar, e que lutem todos os dias para concretizarem os vossos sonhos, mesmo que esse pareça impossível, creiam e amem Jesus Cristo, porque ele é a fonte da vida e da sabedoria.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

A grande entrevista, com Messias Francisco Quinguri
Publicidade
Publicidade