Publicidade

Todos na luta contra o Suicídio no Setembro Amarelo

Publicidade

Talvez já se tenha deparado com a morte de amigos, familiares, ou conhecidos que optaram por pôr fim à própria vida, isto é, por suicidar-se.  Infelizmente esta triste realidade assola o mundo e gera grandes prejuízos para a sociedade. De acordo a OMS (Organização Mundial da Saúde), em 2019 foram registados mais de 700 mil suicídios em todo o mundo.

Todos na luta contra o Suicídio no Setembro Amarelo

Certamente já ouviu falar do Setembro Amarelo. Esta campanha, que teve início no Brasil, em 2015, foi escolhida no mês de Setembro, porque desde 2003 que o dia 10 de Setembro é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, com o objectivo de minimizar as mortes por suicídio em todo o mundo, através das informações passadas por meio de palestras, campanhas de sensibilização e de acções artísticas, para alertar a população a respeito dessa realidade.

Publicidade

Para o Setembro Amarelo, a melhor forma de se evitar um suicídio é através de diálogos e discussões que abordem o problema. Para este ano, o lema é  “A vida é a melhor escolha!”

Como identificar pessoas que precisam de ajuda e correm risco de suicídio?

Pessoas que pretendem suicidar-se apresentam alguns comportamentos que precisamos ter em atenção, como:

Comportamentos retraídos, têm dificuldades em relacionar-se com a família e amigos;

Padecem de doenças psiquiátricas como: transtornos mentais, transtornos de humor (depressão, bipolaridade), transtornos de comportamento pelo uso de substâncias psicoactivas (álcool e outras drogas), transtornos de personalidade, esquizofrenia e ansiedade generalizada;

Acarretam um sentimento de culpa, solidão, impotência, sentem-se desvalorizadas;

Falam repentinamente sobre morte ou suicídio;

Apresentam uma personalidade impulsiva, agressiva e possuem um humor instável.

Como ajudar?

Ouvir, demonstrar empatia, ficar calmo e dar o apoio necessário;

Levar a situação a sério e verificar o grau de risco;

Perguntar sobre tentativas de suicídio ou pensamentos anteriores;

Explorar outras saídas para além do suicídio, identificando outras formas de apoio emocional;

Conversar com a família e amigos imediatamente;

Remover os meios para o suicídio em casos de grande risco;

Procurar entender os sentimentos da pessoa sem diminuir a sua importância;

Aceitar a queixa da pessoa e ter respeito pelo seu sofrimento;

Demonstrar preocupação e cuidados constantes.

Gostarias de escrever para a Chocolate? Aceitamos sempre colaborações com convidados da nossa comunidade e estamos sempre à procura de novos colaboradores. Entra em contacto connosco e vamos discutir as tuas ideias.

Todos na luta contra o Suicídio no Setembro Amarelo
Publicidade
Publicidade